fundo parallax

1a EXPEDIÇÃO DO GUIA BIRDING BRASIL FOI SUCESSO EM SALESÓPOLIS

1a. EXPEDIÇÃO ORGANIZADA PELO GUIA BIRDING BRASIL PARA OBSERVAÇÃO DE AVES EM SALESÓPOLIS FOI REALIZADA COM SUCESSO

GALERA NA PEDRA DANDO AS BOAS VINDAS A SALESÓPOLIS

Aconteceu neste final de semana (16 e 17 de Setembro de 2017) a 1a Expedição organizada pelo Guia Birding Brasil para observação de aves. O local escolhido foi SALESÓPOLIS/SP situada a 105 km da capital paulista e a 70 km do litoral.
Para contrariar alguns que acreditam ficar inviável a passarinhada em grupos maiores, a expedição ocorreu com um grupo de 9 pessoas mais o guia e tudo transcorreu na maior tranquilidade, com 100 % de aproveitamento nos registros das espécies que se apresentaram.

Parque Estadual Padre Dória pertence ao sistema PESM – Parque Estadual da Serra do Mar

Dentre as opções de trilhas do parque, a do Rio Pardo é uma das mais distantes e com trechos de difícil acesso para os veículos

Durante o percurso até a Trilha do Rio Pardo, Maria Cecilia Masiero integrante da equipe do Guia Birding Brasil, pediu para parar o veículo, pois tinha ouvido a vocalização do Vite-vite (Hylophilus thoracicus), espécie ainda não registrada no município de Salesópolis. Paramos, colocamos o play back para a confirmação e pronto, ele respondeu e se “entocou”, após alguns minutos de espera, resolvemos gravar a vocalização e seguir em frente.

 

Apesar do difícil acesso para se chegar na Trilha do Rio Pardo, o local é especial com larga oferta de aves da mata atlântica.

O clima foi de atenção mas também de descontração todo o tempo, afinal, nem só de lifers vive o Observador de Aves, podendo curtir uma passarinhada como uma atividade prazerosa de lazer.

 

No retorno da Trilha do Rio Pardo, nosso veículo não conseguiu subir uma ribanceira com muitas pedras soltas, sendo necessário a colaboração do pessoal do Parque para o reboque.  Apesar do pequeno stress, o episódio não chegou a tirar a animação da galera.

ELVIS JAPÃO (Guia Birding em Salesópolis/SP) é muito experiente e tem um ouvido sensacional, conseguindo ouvir as aves e identificá-las a distancias incríveis.

No segundo dia, tivemos a satisfação de contarmos com o apoio de ELVIS JAPÃO, renomado Guia Birding do local. Elvis logo cedo nos levou ao paradeiro do “criticamente ameaçado” Bicudinho-do-brejo-paulista (Formicivora paludicola)

 

O bicudinho-do-brejo-paulista (Formicivora paludicola) é uma das descobertas mais interessantes e recentes da ornitologia. Essa pequena ave foi descoberta próxima ao maior centro metropolitano da América do Sul, São Paulo, com registros confirmados nas cidades de Mogi das Cruzes, Biritiba-Mirim, Salesópolis, Guararema, São José dos Campos e mais recentemente, Santa Branca.

Assim que o bicudinho-do-brejo-paulista foi reconhecido como espécie, já entrou direto para a lista do Ministério do Meio Ambiente como criticamente ameaçada de extinção. O problema é que ele habita áreas muito vulneráveis de brejos naturais que estão desaparecendo ou sendo poluídos.

Bicudinho-do-brejo-paulista macho (Formicivora paludicola) Foto by Marco Cruz

Bicudinho-do-brejo-paulista fêmea (Formicivora paludicola) Foto by: Marco Cruz

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A manhã do domingo foi muito proveitosa e a galera viu de pertinho além do Bicudinho-do-brejo,  o migratório “Caneleiro-verde” (Pachyramphus viridis), Marianinha-amarela (Capsiempis flaveola), João-pobre (Serpophaga nigricans), Mariquita (Setophaga pitiayumi), Trovoada-de-bertoni (Drymophila rubricollis), Saíra-douradinha (Tangara cyanoventris), Saí-andorinha (Tersina viridis), Guaracava-de-bico-curto (Elaenia parvirostris), Limpa-folha-de-testa-baia (Philydor rufum), Choquinha-de-garganta-pintada (Rhopias gularis), Choquinha-carijó (Drymophila malura) e outros.

Arapongas (Procnias nudicollis) Vocalizavam por toda parte no Parque e deixavam ser fotografadas tranquilamente.

 

Caneleiro-verde (Pachyramphus viridis)

 

 

 

 

 

 

 

 

Marianinha Amarela (Capsiempis flaveola) Um dos melhores lugares que ja vimos para fotografar esse bichinho lindo, que nunca para !

Saí-andorinha (Tersina viridis) Um dos mais belos pássaros do Brasil

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Marianinha-amarela é comum no estrato inferior de bordas de florestas, clareiras com arbustos, bambuzais, cafezais e restingas. Vive aos pares ou em pequenos grupos de 3 ou 4 indivíduos, procurando ativamente por insetos na folhagem.

Para finalizar, montamos tocaia na casinha da mata, das 16h00 as 17h00 para o registro do Inhambuguaçu (Crypturellus obsoletus) e a  Juriti-gemedeira (Leptotila rufaxilla)

Inhambuguaçu (Crypturellus obsoletus)

Juriti-gemedeira (Leptotila rufaxilla)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não podia faltar um bate papo agradável regado a pizzas. Agradecimentos a Ana Wuo pelo apoio (Gestora do Parque Padre Dória), ao Roberto de Morais “Boy” (guia e monitor do Parque), seu filho Felipe e Fabiana pela colaboração.

Para os Observadores de Aves as 382 espécies registradas no município se convertem num grande atrativo, ainda mais sendo 296 delas encontradas nas matas bem preservadas das diversas trilhas existentes no município.    Aves raras e ameaçadas de extinção fazem parte desta lista como o bicudinho-do-brejo-paulista (Formicivora paludicula), maria-leque-do-sudeste (Onychorhynchus swainsoni), patinho-gigante ( Platyrinchus leucoryphus ), chibante (Laniisoma elegans) dentre outros.  Os 156 ha de mata bem preservada de SALESÓPOLIS contam com diversas trilhas já preparadas para Observação de Aves e com guias especializados para acompanhar os visitantes (necessário pré-agendamento).

Integrantes da I EXPEDIÇÃO DE OBSERVAÇÃO DE AVES DO GUIA BIRDING BRASIL – José Dionísio Bertuzzo, Donisete Almeida, Mario Sato, Celmo Coutinho, Catarina Sato, Tania Mara de Camargo, Patrícia Hanate, Maria Cecilia Masiero e Geraldo Panucci.

Guias: Roberto de Morais (Parque Padre Dória) e Elvis Japão (Área rural de Salesópolis)
Lista de aves registradas no município de Salesópolis em 20/09/2017

http://www.wikiaves.com.br/especies.php?t=c&c=3545001&o=3&ef=

 

HOSTEL SALESÓPOLIS – PARCEIRO DOS BIRDWATCHERS

 

Yes No