EM OUTUBRO, MILHARES DE AVES MIGRATÓRIAS CRUZAM A AMÉRICA DO SUL

foto: Milhares de gaviões-de-asa-larga (Buteo platypterus) em uma térmica de migração no México. Foto: Pablo Camacho.

Nas próximas semanas, grupos com milhares de rapinantes migratórios oriundos do hemisfério norte vão cruzar a floresta amazônica, especialmente os Estados do Acre e oeste do Amazonas.

No mês de outubro, grupos com milhares de rapinantes migratórios da América do Norte podem ser avistados cruzando os países da América Central e do Sul. Na Costa Rica, por exemplo, é possível avistar mais de 8 mil indivíduos em pouco menos de três horas, tornando-se verdadeiras “nuvens de migração”. No Brasil, no entanto, são raríssimos os avistamentos das nuvens de migrantes.

DISTRIBUIÇÃO DA ESPÉCIE NA AMERICA DO SUL

Essas nuvens de migração são compostas por uma ou mais espécies que migram em bandos, como o gavião-papa-gafanhoto (Buteo swainsoni), sovi-do-norte (Ictinia mississippiensis), gavião-de-asa-larga (Buteo platypterus) e o urubu-de-cabeça-vermelha (Cathartes aura).

No Brasil, bandos numerosos de gavião-papa-gafanhoto (Buteo swainsoni) e sovi-do-norte (Ictinia mississippiensis) podem ser registrados no Acre, oeste do Amazonas e noroeste de Rondônia, áreas nas quais fazem parte da rota de migração dessas aves.

Veja matéria completa, diferenças entre o SOVI e o SOVI-DO-NORTE e quais são os outros rapinantes que estarão migrando nesta época:

http://blog.avesderapinabrasil.com/2017/09/as-nuvens-de-migrantes-que-cruzam.html

 

Yes No