TERMOELÉTRICA EM PERUÍBE / SP – PROGRESSO OU RETROCESSO ?

Usina Termoelétrica da Petrobrás – Juiz de Fora / MG

As usinas Termolétricas são fontes primárias consideradas em sua maioria não renováveis dependendo do combustível. O movimento dos geradores se dá através da queima de gás natural, carvão ou óleo combustível em uma caldeira. Esta gera vapor a partir da água que é conduzido a uma alta pressão por uma extensa rede de tubos até chegar às pás da turbina. A função do vapor é movimentar as pás de uma determinada turbina, onde o rotor gira juntamente com o eixo de um gerador produzindo a energia elétrica.

A potência mecânica obtida pela passagem do vapor através da turbina faz com que ela gire e com que o gerador também por estar acoplado mecanicamente à turbina, transformando assim a potência mecânica em potência elétrica.

O vapor gerado pela caldeira é resfriado em um condensador e convertido outra vez em água, voltando à rede de tubos da caldeira, dando início a um novo ciclo. A energia é transportada por linhas de alta tensão aos sistemas de distribuição, redes de transmissão, onde a eletricidade passa por diversas subestações apresentando transformadores que aumentam ou diminuem sua voltagem para assim poder chegar a comércios e residências. A figura abaixo está representando o funcionamento de uma usina termoelétrica.

 

Esquema de funcionamento de uma Usina Termoelétrica

A Gastrading, braço do Grupo Léros, ligado a atividades de geração de energia, decidiu implantar uma usina de gás natural em Peruíbe após ter estudado áreas no Rio de Janeiro e em São Sebastião. A usina deverá ser instalada em 40 hectares, numa área de 160 hectares, dentro do zoneamento industrial da cidade de Peruíbe/SP, conforme Zoneamento Econônico e Ecológico do Estado de São Paulo.

A tecnologia a ser utilizada na Usina é de Ciclo Combinado, que faz o reaproveitamento da queima do gás. De um lado, essa queima cria calor que movimenta uma turbina, gerando energia que será entregue ao sistema. De outro, o aproveitamento da exaustão aquece a água que se torna vapor, movimentando uma turbina, gerando energia que será entregue ao sistema. Todo o sistema ocorrerá num circuito de água-vapor de modo fechado.

A energia gerada será entregue à rede básica vias linhas de transmissão, que se estenderão por 92 km, saindo de Peruíbe, passando pelos municípios de Itanhaém, Mongaguá, Praia Grande, São Vicente e Cubatão/SP.

Bruno Lima – Biólogo e Ornitólogo

Guia Birding Brasil conversou sobre o assunto com o Biólogo/Ornitólogo BRUNO LIMA, que residiu na região e se tornou conhecedor profundo da fauna e flora da área em questão. Bruno atualmente está morando e trabalhando no México.
“Sobre a Termoelétrica de Peruíbe, acredito que se ela realmente for aprovada, será uma grande catástrofe”. Parte da população está esperançosa com a oferta de empregos que normalmente se dá principalmente na fase de implantação da usina. Aqui no México, onde vivo, a população não acredita mais nesse tipo de oferta, já aprenderam que essas vagas são “empregos temporários” e que após a fase de implantação a usina ficará normalmente com um grupo seleto de profissionais especializados, deixando para os moradores locais, apenas poucas vagas para funções que não exigem muita qualificação, como por exemplo,  assistentes de serviços gerais, etc.

O Brasil deveria saber que no resto do mundo as Termoelétricas estão sendo abolidas, apenas o Brasil está dando um passo atrás”! comenta Bruno.

“Já passou do tempo de investirmos em energias renováveis! Se o plano fosse a implantação de painéis solares ou mesmo torres eólicas, eu seria o primeiro a defender tal implantação. Não podemos mais permitir a construção de quaisquer tipos de energia que não sejam renováveis, simplesmente porque o planeta não pode esquentar mais!”

“Se em 3 anos não reduzirmos nossas emissões de gases causadores do efeito estufa, o aquecimento global se tornará irreversível! Enquanto defendemos a implantação de energia renovável, defensores da Termoelétrica espalham pseudociência pela internet, alegando que o vento e a vegetação existente no local irão dissipar ou absorver os contaminantes. Por favor, atuem com os pés no chão! Os efeitos da usina serão altamente impactantes também para a fauna local, principalmente para as aves. Torres e linhas de transmissão “rasgarão” a mata onde sobrevive uma população isolada de papagaios-de-cara-roxa, além de espécies seriamente ameaçadas de extinção, como a jacutinga, o apuim –de-costas-pretas, o gavião-pombo-pequeno, o sabiá-pimenta e outros” completa Bruno.

Marco Silva – Representa entidades de Preservação Ambiental

Já para Marco Silva/SP, ligado a entidades de preservação do meio ambiente e especializado em aves, a situação não é diferente: A questão não é só a restinga de Itanhaém, praticamente todo litoral sul vai pagar um alto preço pela instalação dessa termoelétrica. “Só vou comentar sobre os recursos hídricos, pois isso me chamou muito a atenção: Ao longo do traçado do gasoduto de distribuição estão previstas 48 travessias em diversos cursos d’água, entre os municípios de Peruíbe e Cubatão. Pensem num acidente e na contaminação que pode ocorrer”!

 

 

 

Vejam a última notícia sobre “aquecimento global” a nível mundial: https://br.yahoo.com/noticias/misteriosas-bolhas-de-gas-na-siberia-podem-representar-um-perigo-para-o-planeta-082224829.html

 

Yes No